quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

GORDURA

O ex-vereador Expedito Bolão, pai de Zairo, Zarino, Zoraide e outros, que é conhecido por sua irreverência e espirituosidade, é viuvo da saudosa Isaura, que viveu quase toda a sua vida com excesso de fofura, ou seja, era bem gordinha. Seu médico Joaquim Saldanha, que era casado, por coincidência com outra Isaura (Amélia Rosado), recomendou-lhe que não comesse mais gordura e ele de imediato perguntou: E quem vai comer Isaura! O que causou um enorme constragimento até o esclarecimento do equívoco!

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

PARA OS DOIS

Sempre que chegamos fora do horário em nossa residência, minha esposa fica a conversar e eu esperando pela bóia. Daí, eu pergunto: E aí, num vai sair jantar, não? Ela: Faça aí! Eu: Tudo bem, mas, faço só o meu! Ela: Ah, é assim, né? Quando eu faço, eu faço "pros" dois! Eu: E quando eu compro, eu compro "pros" dois! Dorma com o barulho desses!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

NÃO É PRA QUALQUER UM

Nos JERN´S (Jogos Estudantis do RN) de um ano qualquer, fomos campeões juvenil masculino invicto e sem perder um set sequer. Todavia, no juvenil feminino, não ganhamos sequer uma partida. Ao chegar na secretaria do Colégio Dom Bosco, os atletas estavam reinvidicando um costumeiro churrasco para comemorar o feito inédito e o diretor, meu grande amigo Filgueira, se esquivando dizia que para ele não adiantava de nada, posto que as "meninas" também não tinham ganhado. Eu que vinha entrando, sapequei essa: É isso mesmo, professor, ser campeão não é pra qualquer um, não! Veja você, corre vaquejada desde criança e nunca ganhou uma! A meninada caiu na risada e o churrasco acabou saindo! Argumentação de um advogado desportista!

PASSA LOGO

Muito amigo de meu pai, Dr. Mozart Menescal era Juiz de Direito de Mossoró nos anos 60/70. Não gostava de condenar ninguém, todavia, os ossos do ofício os obrigava. Uma vez, ao condenar um réu a vinte anos de prisão, olhou para o condenado e apontando para os jurados disse: Foram eles, viu? Mas, não se preocupe, não! Passa logo!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

PECADO

Na década de 50, morava no Seminário Santa Terezinha, o Padre Sales Cavalcanti, que gostava de tomar umas cervejinhas. Ciente de que a sociedade reprovava sua conduta etílica, mandava a serviçal comprar de duas em duas cervejas, em José Soares, dentro de uma sacola plástica, dentro de uma bolsa de palha, muito usada na época. E recomendava: Cuidado pra ninguém saber que é pra mim! Porém, quando tomava umas, duas ou três remessas de cervejas, já com o sangue fervendo e umas idéias diabólicas na cabeça dizia para a empregada: Agora venha com elas batendo uma na outra e gritando: É pra Padre Sales....!!!!

CANDURA

Hoje presto uma homenagem a D. América Fernandes Rosado, uma mulher séria sem sisudez, uma alma boa de uma candura incomensurável. Em minha infância, fui quase seu vizinho, quando morava na Dr. Almino Afonso e eu na Dr. Almeida Castro, ambas ruas no centro da cidade. Havia uma aglomeração de pessoas próximo aonde hoje funciona a Escola de Enfermagem da UERN, acho que na época funcionava o Grupo Escolar Modelo e, nessa aglomeração uma pessoa alta, forte, rústica e deseducada pisou-lhe o pé com tanta força que sequer percebeu que estava pisando o pé de alguém. Mesmo naquele sofrimento, bateu no ombro de seu algoz e disse-lhe: Meu amorzinho, você está pisando no meu pezinho! Aquela cena nunca saiu de minha retina!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

ACORDO

Na década de noventa eu fazia muitas audiências na cidade de Macau, onde havia um juiz presidente muito antipático e mau educado, o Joaquim Sílvio Caldas. Pois muito bem, de certa feita fiz uma audiência para um cidadão de Ipanguaçú que também não tinha a educação muito primada e além do mais tinha uma cara de gangster que não era brincadeira! Logo no ínicio da audiência, de praxe, o juiz presidente da junta indagou a meu cliente se tinha acordo e ele respondeu: Doutor, o acordo que eu faço com esse "homi" é deixar ele vivo! Aí, vocês imaginam o resto...

sábado, 19 de dezembro de 2009

NADA COM ISSO

Guido Ferrário Leite, figura tradicional da Mossoró de um passado recente, toda semana ia a Natal e não aceitava carona de ninguém, preferindo fazer a viagem sempre nos ônibus da Nordeste. Indagado sobre a razão pela qual só viajava de ônibus, soltou essa: Amigo, se o ônibus apresentar algum problema ou furar um pneu, não tenho nada como isso, pois favor não devo a Nordeste! Sempre pago minha passagem! Explicadíssimo!

LIMÃO

Durante muitos anos, Raimundão manteve um estabelecimento denominado Bar Ipiranga, na rua Almino Afonso, alí pertinho do Clube ACEU. Metódico como ele só, gostava de estabelecer regras para o atendimento aos fregueses. Lá não se podia fumar, comprar tira gostos (alegava sujeira após o consumo), beber cachaça, só em pé e no balcão. Desavisado, chega um freguês e pede uma dose de cachaça, no que é logo chamado para o pé do balcão. Servido, o freguês fica olhando para Raimundão e este sisudo lhe encarando, quando então o freguês indaga: Peraí, num tem nenhum limão, não? Respondeu Raimundão: Amigo, eu compro dez grades de Pitú por semana e nunca ganhei um limão! Grosso que só pentelho de africana!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

DEU PRA NOTAR?

Dr. Marlus César, auditor fiscal da Serra do Mel, advogado militante pras bandas de Areia Branca , Grossos e adjascências, teve um período em que militou no magistério lecionando no Geo daqui de Mossoró. Nessa época, tomava todas e pra acordar cedo, já viu! Outro dia, após ir dormir totalmente embriagado, acordou já atrasado, numa ressaca de tremer até os cabelos da cabeça! Morando bem perto do Geo, não teve maiores problemas para chegar a tempo. Quando tomou um copo de água bem geladinha, a ressaca bateu com força e ele morrendo de sono, não conseguindo dar aula, teve a idéia de aplicar um teste surpresa. Feito isso, sentou-se na cadeira do birô, botou os óculos escuros e pegou no sono. Quando acordou, só tinha um aluno na sala. Ele todo descabelado e assustado, perguntou ao aluno: Ei, deu pra notar que eu tava dormindo? Resposta: Professor, enquanto o senhor não roncou, num deu não.....!!!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

OUTRA DE JÚLIO SUVELA

Esse Júlio Suvela é um matuto metido a sabido, que veio lá das bandas de Patú e na época em que morava por aqui, era todo metido a bacana. Só queria ser rico! Conversa, tinha pra botar bode na chuva e esse ainda pedir o sabonete! Pois muito bem, queria entender de tudo! Todos, na semana santa, programando uma visita a Fernando de Noronha, indo de avião até Recife e de lá de navio. Aí, o sabidão sai com essa: Vamos de carro mermo, homi! Pra que essa despesa toda! Ao delírio de novo, a galera!

JULIO SUVELA

Naquele distante 09 de dezembro de 1980, já entrando a madrugada, estávamos na Praça do Cid, quando chega alguém e informa do assassinato de John Lennon, logo Júlio Suvela, que foi casado com Luzia Leonardo, sapeca essa: Por mim, podem matar esses presidentes estrangeiros tudin...!!! A galera foi ao delírio!

IMBECIL

O Gerôncio, popular Cocada, lavador de carros que foi candidato a vereador em eleições passadas, passou um dia de sexta feira inteiro lavando carros, e conseguiu lavar dez veículos, apurando a importância líquida de R$ 50,00 (cinquenta reais), uma vez que a prefeitura ainda não tributou lavadores de carros e, ao final da tarde, no happy hour, sentou no Delícia da Praça, que funcionava alí em frente à Praça da Igreja do Coração de Jesus e, pediu um filé com fritas e tomou duas doses de whisky escosses, pediu a conta e para sua surpresa deu a bagatela de R$ 55,00 (cinquenta e cinco reais). Depois de muito argumentar, conseguiu pendurar os cinco reais restantes. É um imbecil, mesmo! Vá procurar sua turma Cocada!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

E VOCÊS?

Era do conhecimento geral que o burgo mestre Dix-huit Rosado era bom garfo. Gostava muito de se alimentar "com força". Em uma viajem que fazia à Natal, por volta do meio dia, ele, o motorista e mais um passageiro que em respeito à saudosa memória do ex-prefeito, pediu anonimato, pararam em meio à estrada, na Peixada Acuã, em Assú e ao sentarem à mesa, logo que o garçom se aproximou, Dix-huit perguntou qual peixe que eles dispunham e ao obter a resposta, pediu 03 curimatãs grandes, ovadas, com pirão, arroz e batata doce. Como outros ficaram calados, o garçom se retirou. Daí, o Burgo Mestre ao vê-los calados, perguntou-lhes: E vocês não vão comer, não?

VAI PRO JUNCO?

No ano de 1970, precisamente, meu tio Bebeto trabalhava no Banco do Brasil na cidade de Pombal, na Paraíba e constantemente, íamos passar feriados e férias por lá. Nessa época, meu pai tinha um Jipe Willis e era nele que enfrentávamos a viajem desconfortável partindo de Mossoró ao alto sertão paraibano. Certa feita, perdidos em uma estrada carroçável, procurando o caminho da cidade do Junco (hoje Messias Targino) nos aproximamos de uma porteira aonde se encontrava um menino de uns dez anos, sentado, e papai com seu jeito rústico, aponta para a direção a seguir e pergunta ao menino: Vai pro Junco? O menino respondeu: Vô não! E desce da porteira e sai desembestado correndo com a gota serena!

AH, POVIN...!!

Em uma das campanhas para prefeito de Grossos, o candidato Cachica que não dispunha de muito acervo cultural em suas idéias, pedia a um assessor para preparar seus "improvisos" e na hora do comício, puxava do bolso o papel e lia-o. Em uma oportunidade, quando estava subindo ao palanque com o discurso no bolso de trás de sua calça "far west", a ponta do papel ficou à mostra e o vagabundo achando que era dinheiro ou outra coisa mais valiosa, deu a "tesoura" e surrupiou o "improviso" do bolso de Cachica. Quando anunciado a vez do candidato falar, este se aproximou do microfone e começou a procurar o papel com o discurso nos bolsos e falando prenunciando: Povo de Grossos! E procurando: Povo de Grossos! E continuava a procurar o papel, metendo as mãos nos bolsos e nada: Povo de Grossos! E com a certeza de que não acharia mais o papel, prosseguiu: Ah, "POVIN LADRÃO"! E tome vaia!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

MÁXIMAS 08

Sexo é como vestibular, não importa a posição, o importante é entrar..

PRECONCEITO

Na campanha de Sandra Rosado para a prefeitura de Mossoró, nos idos de 90, o carro chefe era a construção de casas populares para a população mais carente e nos últimos dias de encerramento da campanha tiveram a brilhante idéia de fabricar uma casa em cima de um caminhão. E assim fizeram! No dia da carreata o caminhão saiu com a casa em cima e, por razões desconhecidas, uma negra muito conhecida desfilou dentro da casa que estava em cima do caminhão. Pois muito bem, em certo trecho da carreata, um gaiato exclamou: Essa Sandra é uma danada, mermo! Vai dar a casa já com a empregada!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

MÁXIMA 9

Mulher feia é que nem muro alto, primeiro dá um medo, mas depois a gente acaba trepando .

MÁXIMAS 8

Se sua mulher pedir mais liberdade, compre uma corda mais comprida.

É A GÁS?

O falecido Piau, era um pequeno comerciante ali do Vuco Vuco e era grosso que só cano de passar "tolete". Certa feita ia no seu Jipe para Tibau e foi parado pela Polícia Rodoviária e um dos policiais se aproxima e pergunta: É a gás butano? Ele responde: Né um fogão, não! Isso é um jipe!

PEDRO LEÃO

Seu Pedro Leão, como era chamado, geralmente andava de paletó branco e, estando ele na fila para comprar o ingresso no Cine Pax, chega uma pessoa e com um capilé (ai novo!) atira longe um besouro que se encontrava no ombro dele, dizendo: Olhe besouro, seu Pedro! O dito cujo fica por alí, rodeando e pede: Seu Pedro Leão, intere a minha entrada! Ele incontinentemente diz: Bote o besouro aqui, de novo!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

MARTELOS

Nos idos dos anos sessenta, havia um comerciante muito conhecido por suas "tiradas", estabelecido alí na rua Coronel Gurgel, onde hoje funciona o Atacadão dos Eletros, de nome Pedro Leão, que era simplesmente espetacular na espirituosidade. Vamos a uma dele. Chegou um matuto em seu estabelecimento à procura de comprar martelos. Depois de alguma conversa o cidadão do mato, comprou cinco martelos e retornou a sua cidade. Passado, alguns dias, o matuto chegou reclamando que os martelos não prestavam para o serviço a que se propunham. E querendo devolver os martelos e Pedro Leão sem querer devolver o dinheiro e ele dizendo que não podia perder e Pedro alegando que ele já tinha usado os martelos e etc., quando de repente Pedro Leão pergunta: Quantos martelos o senhor comprou?: Ele respondeu: Cinco! Pedro Leão: E eu, que comprei duzentos....vou perder?

MÁXIMAS 07

Desfilar com mulher feia é igual a mormaço de praia, não parece, mas, vai te queimar!

MÁXIMAS 06

Todo homem tem a fantasia de fazer sexo com duas mulheres ao mesmo tempo e as mulheres deveriam gostar da idéia. Pelo menos, teriam com quem conversar depois que ele pegasse no sono...

MÁXIMAS 05

Bebo porque sou egocêntrico, gosto quando o mundo gira ao meu redor.

MÁXIMAS 04

Dizem que mulher satisfeita não trai.
Mas alguém já viu mulher satisfeita ?. . .

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

ASSIS AMORIM

Na posse do meu amigo, Assis Amorim, no cargo de juiz de direito da cidade de Almino Afonso, havia muitas bebidas e comidas, banquete rolando solto, de repente Assis pergunta para uma senhora do lugar se ali tinha ovos de galinha e na afirmativa da senhora ele pede para estrelar seis ovos mal passados. Quando a mulher chega à mesa e que põe o prato com os ovos em cima desta, Assis pega logo o prato e quando vai colocar todos no seu prato, um conviva diz com vontade: Dr. Assis, também gosto de ovos! Ele responde mais rápido ainda: Num gosta mais do que eu, não! E despeja os ovos dentro do prato! Foi o que a "mundiça! quis pra fazer chacota com o pobre do preterido!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

MÁXIMAS 03

" Gordo é que nem trator, não pega enfeite"

MÁXIMAS 02

"A mulher da gente é que nem trator, p´ra trabalhar é uma beleza, mas, já p´ra passear, é desconfortável"

MÁXIMAS 01

"Não há situação ruim que não possa piorar" (Autor desconhecido)

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

FICHAS

Em uma campanha política em Mossoró, mais precisamente na Praça da Redenção, onde eu residia quando criança e adolescente, estava acontecendo um comício do MDB e chegada a hora de Assis Amorim, candidato a deputado estadual, se pronunciar, este se encontrava na casa de Hamilton Freire, em frente à praça jogando baralho. O locutor anunciava: Agora vai falar o representante dos estudantes, Assis Amorim! E o povo aclamava e ele nada! Ele com a parada armada não queria largar de jeito nenhum! Daí, que chegou a carta boa e ele juntou as fichas pegou o dinheiro da aposta e saiu correndo em busca do palanque segurando as fichas com as mãos juntas ao peito e a barriga, sobe esbaforido, pega o microfone ainda guardando as fichas, quando cai uma ao pé do palanque e ele com o microfone em punho e próximo a boca, fala ao microfone e ecoa no pátio: Ei, rapaz, apanhe essa ficha, aí, por favor! A galera cai na gargalhada!

FILOSOFO

Só para registrar! Layrinho Rosado ao fazer um comentário no programa Observador Político, disse: As feias que me perdoem, mas, beleza é fundamental, já dizia Nelson Gonçalves! Claro que ele se enganou....

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

BARÃO.

Chico Soares, o popular Barão, ia passando em frente a delegacia de polícia que na época ficava em frente a atual Câmara de Vereadores, antigo Esperança Palace Hotel e estava acontecendo uma tentativa de linchamento de um pai que havia estuprado a filha, quando então, ele pará o carro e pergunta: Que foi que houve? Responderam: Foi um pai que estuprou a filha dele...Aí ele: E o que é que tem, né dele? Ah, espírito de porco!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

OUTROS TEMPOS

Essa é do tempo em que as pessoas se respeitavam! Meu tio avô Lauro da Escóssia que era casado com Dolora do Couto, era uma figura por demais popular, haja vista seu curriculum como jornalista, e também era muito galanteador. Naquela época, havia uma empregada na casa de minha avó Dulce Escóssia, daquelas "que se dava ao respeito" e tio Lauro ao chegar lhe fez o seguinte comprimento: Au passè vú de lá santé (em francês, claro!)? Ela furiosa, respondeu: Essa Dolora vai saber! Certamente pensando que era algum cabimento!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

CABARÉ

Essa é interessante! Meu amigo, Dr, Marlus, é um sujeito muito alegre, brincalhão e sem preconceito algum. Sua casa é frequentada por todo o tipo de pessoas. Certo dia, chegaram de Recife, Rafael e Sandro, amigos dele e de meu filho Bebé. O Sandro nunca tinha vindo a Mossoró e especialmente na casa do Dr. Marlus. Pois bem, convidados, fomos à casa do dito cujo e lá chegando fomos para o quintal, que estava preparado para nos receber, com mesas, cadeiras, bebidas e churrasco. Acomodados, começou a chegar gays, lésbicas e muita menininha de conduta suspeita. Logo começaram a dançar fazendo coreografias com roupas sumária e sensual. Daí, o Sandro, atordoado e sem saber do que se tratava, virou para o Rafael e perguntou: Aqui é um cabaré, é? A risada foi geral!

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

TÉRBIO II - O SANGUE FRIO

Final da década de setenta, os adolescentes, carentes, lógico, pois não havia mulheres à disposição como há hoje, tinham a reprovável mania de "brechar". Brincadeira essa que consistia em olhar pelas frestas das portas, murros e etc, as meninas de "família" trocar de roupa ou tomar banho, peladas, claro! Para conseguir esse intento, usava-se os mais engraçados e inimagináveis artifícios. Certo dia estando em casa, chega meu saudoso primo Térbio me convidando para ir ver umas meninas tomarem banho e que a empreitada era moleza, mais fácil do que tomar pirulito de criança. Depois de muito insistir, resolvemos, Eu, Ele, Careca e Barbalho, ir até o local indicado por ele. A facilidade começava com a travessia de um canavial de mais de cem metros, entre o Horto Florestal e o Pica Pau (Colégio Geo). Depois de atravessar todo o canavial, chegamos ao campinho de futebol do Pica Pau, quando de repente um cachorro começa a latir ao sentir nossa presença. Nisso, o caseiro começa a brigar com o cachorro, afirmando que não havia ninguém ali e que ele parasse de latir. Como o cão insistia e não parava de latir, o caseiro resolveu levar o cachorro, na coleira, até o local em que o mesmo presentia a presença de pessoas. A gente estava deitado na grama, tentando se esconder de ambos, só que a lua estava claríssima e dava para encontrar uma agulha. Ao chegar perto de nós, acho que o caseiro teve receio ao ver quatro pessoas deitadas (suponho) e disse para o cachorro que ali não havia nada e tal, resolvendo retornar, quando eu morrendo de medo, quase me cagando, disse a Térbio que o cara tinha visto a gente e que eu ia correr, quando ele disse: Esse homi é muito nervoso! Eu: Térbio, se esse cara ver a gente aqui, nós estamos perdidos! Nós vamos dizer o que, pra se justificar? Ele: Eu digo que tava dando o cú a vocês, o que é que tem...???

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

MARCAÇÃO

Nos anos setenta, o saudoso deputado Vingt Rosado costumava interceder por pessoas que fossem presas pela modalidade de "correição". Ligava para o delegado e pedia para que o mesmo soltasse o infeliz. Outros tempos! Estava ele em sua casa, quando o telefone toca e do outro lado da linha lhe falava o popular Burico, um contumaz arruaceiro daqueles tempos: Doutor Vingt, peça pro delegado me soltar...Vingt: O que você fez desta vez Burico? Ele: Não fiz nada, não, doutor, é esse delegado que tem marcação em mim! Vingt: Burico, eu tô com essa idade e nunca encontrei um delegado que tivesse marcação em mim!

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

ESQUECEU

Essa é da mãe de meu amigo Tôgo Ferrário, D. Pierina. Todas as vezes em que ela se preparava para sair de casa fazia uma revista geral para que não se esquecesse de nada, todavia, sempre acabava esquecendo alguma coisa e todos da casa já sabiam disso e ficavam incomodados. Certo dia, ao entrar no carro, já do lado de fora de casa, exclamou: Ah! Quando alguém irritado, logo falou: Esqueceu! E ela: Nãããããõoo, lembrei!!!!!

O FEITIÇO CONTRA O FEITICEIRO

Sempre gostei de pregar peças sadias nas pessoas, então um dia, quando ainda morava com meus pais, comprei uns explosivos que se colocava em cigarros e logo após acender, eles estouravam ao serem tragados. Fiz uma presepadas dessas com meu pai, que ficou fulo da vida comigo, mas, ao passar o choque, pediu-me para preparar uns desses para pegar algumas pessoas lá em Areia Branca, que era aonde ele trabalhava na época. Pois muito bem, preparei os cigarros explosivos e coloquei-os no maço direitinho. Pela manhã do outro dia, papai se levantou bem cedo para viajar para Areia Branca para trabalhar e no meio do caminho a Polícia Rodoviária estava fazendo uma bliz e o mandou parar e pediu os seus documentos e os do carro. Como ele estava com a carteira de motorista atrasada, ficou logo bastante nervoso. Entregou os documentos e ficou na espera. Muito nervoso, sem lembrar acendeu um dos tais cigarros bomba e começou a fumar bem perto dos policiais rodoviários e quando deu umas poucas tragadas o "bicho": BUUUMMMM, explodiu e todos perplexos sem saber o que havia acontecido, olhando para papai com a cara toda chamuscada de "poiva", caíram na risada! Daí, entregaram os documentos a ele que prosseguiu viajem...

sábado, 21 de novembro de 2009

FALAR FRANCÊS

Quando era aluno da quarta série ginasial do Colégio Diocesano Santa Luzia, o professor de francês era Padre José Nobre. Eu era muito relapso, devo confessar, e extremente traquina. Gostava muito de "gazear" as aulas de francês, pois as mesmas eram muito repetitivas. De certa feita, quando estava assistindo à aula da francês, sentado nas últimas carteiras e conversando muito, o professor José Nobre me chama a atenção e esbravejava que eu sou isso, aquilo e aquilo outro, e que eu era incapaz de pronunciar uma frase em francês, quando eu o interrompi dizendo que ele estava enganado, daí, ele me chama ao quadro negro (na época) e lá fui eu e disse: "Lavi le priquiti, com sabonte Gessy"! E fui suspenso por uma semana.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

ELEITORAS

Essa quem em contou foi o saudoso Genildo Miranda, ex-vice-prefeito de Mossoró e pai de meu amigo Sérgio Miranda. Na campanha para governador do estado do rio grande do norte em 1960, fazendo as lendárias vigílias na cidade de Natal, Aluisio Alves com seu candidato a vice governador, Monsenhor Walfredo Gurgel, passam em frente ao mais famoso cabaré do estado, o de Maria Boa, na rua Do Motor, e as "meninas" todas foram à porta para ver a passagem da vigília e saudar os candidatos. Só que as meninas que estavam "trabalhando" àquela hora, vestiam-se com roupas sumárias para a época de uma Natal bastante conservadora, ou seja, estavam semi despidas e gritavam o nome de Aluísio. Ao ver, Monsenhor Walfredo logo pergunta: Quem são, Aluisio? Ao que este lhe responde fingindo não conhecer e na maior cara de pau: Eleitoras, Monsenhor!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

JOGAR FORA

Precisando de um técnico em computação para ver um problema no meu micro, entrei em contato e logo me apareceu um rapaz bastante jovem no meu escritório para fazer os devidos reparos. Ao ver meu PC, ele ficou um tanto desapontado, achando o "bicho" velho demais para sua competência e foi logo me perguntando quantos anos de uso tinha o "dinossauro". E eu lhe respondi que o "Matusalém" já tinha uns cinco anos e ele me disse: Vixe, é muito antigo...presta mais, não! Ai, eu: Então, meu amigo, vou jogar meu pau fora, agora, pois ele já tem 50 anos....!!!

P´RA CRESCER CABELOS

O amigo Lenilson Fernandes me perguntou, outrora, quando éramos jovens e ele já estava perdendo os cabelos, o que fazia crescer cabelos, já que eu era casado com uma cabeleireira, deveria saber. Logo lhe respondi: Papel higiênico, pois quando era menino não tinha nenhum cabelo na bunda e hoje é xeim...!!!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

SEM MORAL

Tinha acabado de me operar de uma fístula anal e aproveitando a empreitada feito exame de próstata, quando em um sinal de trânsito da cidade foi surpreendido com insistentes buzinadas às minhas costas. Eu que costumo me irritar com certa facilidade, olhei para trás e fiquei quieto. Dr. Carlos Augusto, meu ex-colega de escritório, logo me pergunta: Não vai mandar ele tomar no cú, não? E eu constrangido lhe respondi: - Não posso não, homi, é o médico que me operou do cú. Não tenho moral nenhuma com ele...

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

BAND AID

O saudoso Mário Paula trabalhava na Drogaria Rio Grande, do também saudoso Xixico, quando entra uma mulher negra, me parece que era baiana, e lhe pediu uma caixinha de ban aid e, quando lhe foi apresentado o curativo, a dita reclamou que queria um da cor da pele. Mário, apontando para a Casa Centelha, saiu-se com esta:

-Da cor da sua pele a senhora só encontra na ali em frente (fita isolante).

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

VOCÊ FUMA?

No começo de minha brilhante carreira jurídica tive a oportunidade de defender um cidadão que foi flagrado com noventa cigarros de maconha, na véspera de carnaval! Dr. Saraiva, hoje Desembargador, naquela época Juiz criminal desta cidade, naquele tempo residia vizinho a residência de meu saudoso pai e, todas as noites eu tinha a oportunidade de bater papo com ele. Conversando, ele me dizia que não tinha futuro ser advogado criminal, que o advogado se expunha muito, era muito arriscado e etc., e que aquele meu cliente era um traficante e não um viciado. Eu argumentava que a droga encontrada com ele era para consumo próprio e que o cara era um viciado contumaz e etc e tal. Pois muito bem, no dia da audiência diante das evidências não tive como fazer uma argumentação consistente e defender melhor aquele infeliz. Mas, já quase no final da audiência, eu tive uma idéia e disse ao Juiz que gostaria de fazer uma pergunta e de cunho pessoal e ele me permitiu e disse ainda que eu gozava da estima dele e tudo mais. Então eu perguntei: Dr. Saraiva o senhor fuma? Ele disse: Fumo sim, e muito! Eu: Quantos cigarros o senhor fuma por dia? Ele respondeu: Uns vinte e cinco a trinta cigarros! Eu: Pois é, esse cidadão levava o tempo do carnaval para fumar esses cigarros de maconha!

ANTES DE CONHECER É MAIS RECOMENDÁVEL

Dimas, ex-Disco Fitas, irmão de Zé Carlos, sempre muito espirituoso me contou essa. Ele sempre gostou muito de caçar com os amigos e de criar cachorros de raça. Certo dia, se encontrou com Gilson Duarte, o popular Gilson Bosteiro, outro amante do esporte, que lhe confidenciou haver adquirido um cachorro em outra cidade. Daí, Dimas o convidou para irem caçar naquele final de semana, no que Gilson respondeu-lhe, negativamente, argumentando que desejava que o cachorro se adaptasse com a cidade e fosse lhe conhecendo melhor e aos poucos. Dimas, irreverente como o diabo, lhe disse: Homi, vamos logo, num deixe esse cachorro saber quem é você, não! Depois ele não vai mais querer ir...!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

EXAGERADO

Meu filho André sempre foi muito exagerado, tudo pra ele tem que ser no superlativo! Uma vez jogando voleibol no Colégio Dom Bosco onde eu era treinador, numa situação qualquer lhe disse: Meu amigo, se voce fosse viado, acabava o cú num dia!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

NERIVAN II

Com a invasão das grandes marcas, o comércio local sofreu grande abalo em suas finanças e Nerivan que fabricava colchões não foi exceção. Passando certa dificuldade financeira começou a recorrer aos banco locais para conseguir empréstimos e, em todos os que foi recebeu o não como resposta. Desesperançoso, só lhe restava o Banco Econômico, lá chegando o gerente já sabendo de sua situação (coisas de cidade pequena), logo foi lhe informando que no momento não estavam operando. No que ele deu meia volta e quando ia se dirigir a porta de saída, deu novamente meia volta e ficando de frente para o gerente lhe perguntou, fazendo gestos com a mão: Nenhuma FINOSE?

NERIVAN

Nerivan, compadre de Flávio Barreto, cidadão muito conhecido no comércio local nos anos 60/70, dava-se ao hábito de ingerir umas e outras e, certa feita após exercitar seu hábito, ía para Tibau na temporada de veraneio e a polícia federal se encontrava no posto rodoviário fazendo uma Blitz para apreender armas e drogas ilícitas, não deixando passar ninguém sem ser revistado juntamente com o veículo e quando pararam Nerivan, perguntaram-lhe se ele tinha armas e ele respondeu que sim, daí, mandaram-no que descesse do carro e começaram uma rigorosa revista. Ao concluírem, nada encontrando, perguntaram-lhe: Cadê sua arma? E ele respondeu na bucha: Tá em casa, eu num sabia que vocês queriam! E era pra trazer....??? Foi detido e deu o maior rebú para liberá-lo!

DO LADO DE FORA

Mais uma da turma de meu filho mais novo, Arturzinho! Estavam eles brincando, correndo em volta da casa e resolveram pregar uma peça com o coleguinha Kellison, mais conhecido pela alcunha de Japa, claro pela semelhança com um japonês. Pois bem, deixaram-no para trás e entraram de repente dentro de casa e fecharam a porta, ficando o dito do lado de fora, e este começou a gritar desesperado: Socorro, tô preso do lado de fora!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

QUATRO CABEÇAS

No final dos anos oitenta, quando ainda imperava a era do Vídeo Cassete, tive o desprazer de ser visitado pelos amigos do alheio, em minha residência, e me levaram bastante coisas, dentre estas um vídeo cassete de quatro cabeças, objeto top de linha à época. Pois muito bem, contando a André, meu filho, que não morava comigo, ele ficou muito triste e chateado, mas, disse-lhe que já havia conseguido comprar outro. Só não lhe contei que o outro era de qualidade inferior. Estando eu casa, chega André e eu lhe mostro o novo vídeo cassete e ele vai logo dizendo: Vixe, presta não, é de duas cabeças...Eu pegando na "piroca" lhe respondo: Essa daqui só tem uma cabeça e fez você!

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

PAU DE ARARA

Rafael Negreiros, nos anos 70, foi ao cinema no Rio de Janeiro com os filhos e lá chegando na bilheteria pediu: Um adulto e cinco estudantes, ao que a bilheteira perguntou: É pau de arara, né? Ele: Se é de arara, minha filha, eu não sei, não! Mas, sei que é desse tamanho e dessa grossura....(Fazendo gestos com as mãos!)

GRINGO GENTE BOA

Tínhamos uma “amiga” em comum, eu e meu amigo Sérgio Miranda (Paco- Paco), muito disparada, que já “deu” a gato e cachorro. De repente, conheceu um gringo holandês e já marcaram casamento.Quando me encontro com outro dia com o Sérgio, ele me conta a “parada”:

- Ele: Júnior, Fulana me vai casar com um gringo...

- Eu: O que? Essa mulher tem muita sorte, depois de tudo o que já aprontou ainda achou um marido.

- Ele: Pirata, esses gringos são muito gente boa, homi...

BRUTO DE MORRER "INGANXADO"

O pai do meu amigo Edílson Cabeleireiro estava em plena missa, lá em sua terra natal (Icó-CE.), e uma pessoa que estava ao seu lado percebeu que o mesmo coçava a cabeça por cima do chapéu. No que imediatamente lhe disse: Homi, deixe de ser ignorante, tire o chapéu para coçar a cabeça. E teve esta resposta: O que é que tem... e se a coceira fosse no cu, eu ia tirar a calça aqui dentro da igreja!!!!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

BELELEU.

Meu cunhado George Wagner quando namorava com Aninha, minha irmã, durante a temporada de veraneio em Tibau costumava ir toda a noite, namorava e retornava para fazer o programa da FM Resistência logo pela mahã do dia seguinte. Certa noite, estando em Tibau já no adiantado da hora, começou a chamar seu companheiro de viagem, o finado Gil Siqueira, para irem embora pra Mossoró e este sentado nos degraus do Brisa Del Mar só dizia: George peraí, a gente vai já, homi! Isso a subida do Brisa del Mar lotado de rapazes e moças, sentados e em pé. Depois várias tentativas de George tentando convencer Gil a ir embora, este que já havia se encontrado com Beleleu, emplogado e já cheio de cachaça diz: George, pode ir que eu vou dormir mais Beleleu! Nisso, no meio da galera, Jorge Silvano, se levanta todo trejeitoso e diz: Ei, peraí! Quem vai dormir com Beleleu sou eu! A galera foi a loucura!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

CABELEIREIRA

No final dos anos oitenta, minha ex-esposa tinha um salão de beleza e alegava não ter clientela suficiente devido a falta de um telefone fixo, que a época custava uma fábula. Fiz um esforço e consegui instalar um telefone no salão de propriedade dela. Pois bem, estava sem o que fazer no meu escritório e me lembrei de ligar para me certificar se já haviam instalado o telefone. Daí, quando minha ex-esposa Socorrinha atendeu do outro lado da linha, com toda a impolgação possivel disse: Alô, Studio de Beleza Flash, pois não? Ai eu perguntei: Quanto é pra lavar a cabeça? E ela: CR$ 10.000,00 (Dez mil cruzeiros). Aí, eu de novo: E o pau todo? E ela desligou na hora e não atendeu mais até eu lhe explicar que fui eu.....

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A PRIMEIRA DE XISTO

O professor Xisto Neto é por demais conhecido em nossa cidade por sua dedicação exclusiva a educação esportiva e, por via de conseqüência tem o dia todo ocupado com suas atividades, esportivas, claro. Muito bem, estávamos numa mesa de bar, após um jogo, fazendo aquela resenha e ele havia acabado de se casar, novamente, com mais uma lourinha. Conversa vai, conversa vem, ele falando em suas atividades, eu saio com essa: Xisto como é sua jornada diária? Ele todo eufórico começou a relatar: 05:00hs da manhã dou aulas no Jerônimo Rosado, fico até as 09:00 quando então entro na Academia Cléia Maria e fico até às 11:00 hs, meio dia treino com seleção de Mossoró, às 13:00 vou para o Pequeno Príncipe e fico até às 17:00 e a noite retorno ao Jerônimo Rosado, quando não participo do Campeonato Mossoroense de Voleibol (dentre outras que não lembro). Então, eu volto a perguntar: Isso de segunda a sexta? Ele, reponde: Sim, dia de sábado e domingo dou aula de wind surf em Tibau! Aí eu matei com essa: E quem come essa lourinha? (A gaitada foi geral)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

I CALL FOR YOU!

Tive uns clientes estrangeiros na Cadeia Pública de Caicó e quando fomos visitá-los estava havendo uma greve dos agentes penitenciários e não nos foi consentido ficarmos a sós com os gringos. Depois de muita conversa, deixaram a gente falar com um deles a uma distância de uns quinze metros, de um portão para outro e na presença de alguns policiais. Como eu sabia que ele tinha um celular na cela, disse-lhe apenas que: To night, I call for you (Ligo pra voce, à noite). Aí, o colega que estava comigo, Dr. Marlus César, me perguntou: Você disse que ligava pra ele, foi? Aí, eu disse: Dr. Marlus, na cela não tem telefone, não! E caímos na gargalhada!

GATÕES

Estávamos conversando no final de tarde numa dessas praças de Mossoró, eu, Jorge Queiroz, Giovani Leite, Lenilson Fernandes, Sérgio Miranda e outros menos cotados (KKKKK), quando então passa em frente a nós umas senhoras que ao tempo de nossa juventude eram as Top de Linha da cidade, quando Jorge Queiroz resolve fazer o seguinte comentário: Meu irmão, como essas "muié" tão mamão...Aí, eu lhe sugeri: Agora vá lá e pergunte a elas como é que "tá" a gente!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

BORRACHEIRO

Consegui soltar um cliente "filé" da cadeia pública de Caraúbas e como ele não dispunha de muitos recursos para me pagar, começamos, eu e um colega, a sugerir o que ele pudesse me dar em troca de meu serviço (escambo?). Daí, o meu colega, Dr. Marlus, sugeriu que ele arrumasse quatro pneus para meu carro. Ele logo se prontificou, quando eu disse que ele trouxesse só os pneus e, ele foi logo dizendo: Eu trago com roda e tudo, não sou borracheiro pra tá "desimbeiçando" pneus! Claro, não aceitei o presente!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

SUMIDADE II

Minha doméstica Neta, como já disse anteriormente, era muito trabalhadora, porém, sem um pingo de juízo. Outro dia, minha esposa estava fazendo a decoração do jardim de nossa casa, pediu a ela para ela ver o que tinha de artigos decorativos em uma certa loja aqui da cidade. Ao retornar, ela voltou eufórica dizendo o que tinha e o que viu! E passou a relatar que tinha sapinhos, borboletas, pedras decorativas, etecetera e tinha umas "FRIEIRAS" lindas! (Cogumelo). Pode uma coisa dessas....???

sábado, 24 de outubro de 2009

SUMIDADE

Tinha uma empregada doméstica que trabalhava na minha casa que era uma verdadeira sumidade, inteligência fina, porém, muito boa empregada, disposta a tudo para desenvolver bem sua atividade profissional. Certo dia, um amigo vinha alcoolizado, dirigindo uma moto, de madrugada pelo Complexo Viário Vingt Rosado (leste oeste II) se descuidou e levou uma queda grande, na qual perdeu seus pertences, dentre esses as chaves de sua casa e seu celular. Socorrido ao pronto socorro, por faltas de familiares aqui em Mossoró, me chamou a comparecer ao hospital e lá chegando constatei seu estado crítico e ele me pediu para eu ir lá no local ver se achava seus pertences. Como sou deficiente auditivo e, não sei ao certo a direção do som, chamei a minha empregada Neta e lhe expliquei sua missão, disse-lhe que quando a gente chegasse ao local do acidente eu iria discar o número do celular do amigo e ela saberia aonde estava tocando e o recolheria. Tudo bem. Chegando ao local, fiz a ligação combinada e quando o telefone tocou ela correu na direção certa, apanhou o celular e disse: ALÔ! Aí, não me conteve e deu um grito: Imbecil....!!!!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

"CAUSO VERDADE"

No final dos anos 60 pra começo dos anos 70, meu pai se dirigia a Coletoria Federal (nome da época) e ao chegar em frente ao Esperança Palace Hotel (Hoje Câmara de Vereadores), com estacionamento dos dois lados e a Kombi de Vilmar Pereira fazendo entrega da Vasp, com a porta traseira aberta. Daí, meu pai pediu algumas vezes para fecharem a porta pra ele passar e respondeu como resposta que: Se tiver apressado passe por cima. Não precisou mandar duas vezes. O Jipe Willis levou a porta da kombi no para choque...

O COMEÇO DE TUDO! "ERA" DISCO!

E AÍ, O QUE FAÇO PRIMEIRO?

Minha prima Concita Escóssia (vai ficar fula da vida comigo) é conhecida por suas voadas (leseiras). Estava ela em casa sozinha, tinha tomado remédio pra dor de cabeça de nome Tonopan, descansando no sofá, quase pegando no sono, quando tocou o telefone e a campainha da porta ao mesmo tempo e ela naquela agonia, se levanta, sem saber o que atendesse primeiro, correu pra porta e abrindo-a, disse: ALÔ!

TAVARES NOS ANOS DOURADOS DA DISCO

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

É SÓ PRA MULHER!

Quando prefeito de Mossoró, João Newton fez uma proposta para minha tia Maria Lúcia para ela chefiar a merenda escolar do município, ela que havia há pouco se aposentado da Cosern, ficou indecisa pois não queria mais responsabilidades e etc, me dizia ela. Eu falei pra ela que aquilo era temporário e que era um ganho a mais e tudo, e ela ficou de me confirmar. Passado alguns dias, me encontro com ela e ela me diz que não aceitou a oferta de Dandão (João Newton), quando então eu louco pra trabalhar lhe disse: Arranje pra mim! E ela: É só pra mulher! Aí eu danei-lhe essa: É pra dar o priquito? Ela ficou fula da vida comigo!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

QUEM É O MORTO

Estava no velório do Dr. Alcides Menezes, meu vizinho, quando chega minha tia Maria Lúcia Escóssia e me pergunta quem é o morto e eu, prontamente, lhe respondo: É o que tá no caixão!

DANDÃO

Quando passei no vestibular, no longínquo ano de 1976, para a faculdade de Educação Física, era a época da gestão de João Newton da Escóssia na prefeitura de Mossoró. Resolvi ir ao seu gabinete para solicitar uma vaga (na unica vez que fiz isso na vida!) de professor de educação física do município e ele me disse: Primo, me desculpe mas não tô arranjando emprego pra parente, não! Mas, coloque seu nome aí, neste livro (Um livro que mais parecia o catalogo telefônico de São Paulo). Passado algum tempo, quando então ele já havia deixado a prefeitura, me encontro com ele e ele todo solícito me diz: Primo, sou candidato a deputado estadual! Aí eu: Primo, me desculpe mas não tô votando em parente, não! Ele caiu na gargalhada!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

NUM INSTANTE PASSA

Quando jogava tinha 63 quilos e, era jovem, claro! Agora além de mais de cinquenta anos, nem sei o meu peso, pois não sou louco de me pesar e ficar me preocupando! Pois bem, outro dia, meu grande amigo irmão Lenilson Fernandes vendo minha forma física, disse que eu estava muito gordo e tal e me perguntou se eu não tinha mais vontade de jogar voleibol. Eu na bucha: Aqui, acolá, eu tenho, mas aí eu me deito e num instante passa!

NÃO BALANÇA

Por conveniência, morávamos no centro, em uma casa bastante ampla e, posteriormente, resolvemos voltar a morar em nossa casa própria no Inocoop do Alto de São Manoel, e a nossa casa ainda não tinha nenhuma ampliação, portanto, era pequena e por via de conseqüência, todos os cômodos. Pois bem, sempre gostei de dormir de rede e esta ficava no cantinho do pequeno quarto, bem impressadinha, daí, certo dia resolvi ir brincar com Arturzinho na cama e ele foi logo descartando, alegando que eu era "gordão" e que a cama era pequena e ficava desconfortável e etc. Então eu argumentei que eu ficava sozinho ali no canto, desprezado e que a rede não dava nem pra balançar...Foi quando ele "matou" com essa: E a cama também não balança, não!

sábado, 17 de outubro de 2009

POR QUE NÃO FICA?

Meu filho Arturzinho, quando mais novo era muito espirituoso, acho até que a computação aliado a minha separação de sua mãe, tenha contribuído para inibir essa sua faceta. Não que ele tenha ficado "burro" por causa disso, mas, agora é muito taciturno. Bem, vamos ao "causo". Ele estava vendo sua mãe se maquiar de frente pro espelho e pergunta: Mãe, pra que botar isso tudo no rosto? Ela responde: Pra ficar bonita meu filho! E ele: E porque não fica? E saiu correndo às gargalhadas...

GENÉTICO

Estávamos na praia tomando umas cervejinhas e, Arturzinho, meu filho mais novo, que na ocasião contava com apenas seis anos, pediu a sua mãe um guaraná e foi atendido prontamente. Passado alguns minutos ele pediu um outro e novamente foi atendido. Pouco tempo depois, ele pediu o terceiro guaraná e a sua mãe lhe disse: Tá bom, meu filho voce já tomou dois guaranás e ainda quer o terceiro? Aí ele saiu com essa: O que é que tem, voces não tomaram vinte cervejas e ainda estão bebendo?

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

PESSOA DE CONFIANÇA

No tempo em que meu pai trabalhava em Areia Branca, com as estradas ainda sem asfalto, não era conveniente retornar para casa todos os dias e, quando se encontrava, ao final da tarde, no caís Tertuliano Fernandes, lá em Areia Branca, vendo quem retornava para Mossoró, avistou João Balbino, pai do falecido cronista social Gomes Filho e, apesar de muito sisudo, meu pai era muito brincalhão e resolveu tirar um sarro da cara de João Balbino. Chegou até ele e lhe perguntou se ele podia levar um recado até minha mãe, Layzinha Escóssia, no que foi prontamente atendido: Pois não, Alcides! Levo na hora! Aí, papai lhe disse: Diga a Layzinha que eu não vou poder mandar o dinheiro que ela me pediu porque não encontrei uma pessoa de confiança pra levar! Ele, pensou um pouco e saiu resmungando.....

BISSEXUAL

Mais uma de minha atribulada vida de solteiro! Saía com uma garota já algumas vezes e a coisa tava começando a engrenar, então ela resolveu esclarecer uma posição me dizendo: Olhe, antes que voce saiba pelos outros eu vou dizer uma coisa! Cheguei a pensar que era algo grave. E ela: Eu sou bissexual. Ai eu: Ô besteira, também sou...Ela: O que? Eu: Eu saio com mulheres e também saio com sapatões....Ela começou a rir!

MOTOS

Certo dia, de um passado recente na nossa Mossoró, o popular Galba Silveira, meu grande amigo, adquiriu uma tremenda moto, de grande cilindrada, que era admirada por todos nós, na época adolescentes e, nosso amigo Golinha Azevedo, tinha uma cinquentinha e este ao encontrar com Galba, sugeriu: Vamos trocar? Ao que Galba respondeu: E quem segura as motos?

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

TEM QUEM RECEBA?

Quando ainda era casado com Socorrinha e esta acabara de completar 40 anos, numa brincadeira alguém me sugeriu trocá-la, ela de 40 anos, por duas de 20 anos. Ai, eu sai com essa: E tem quem receba a véa?

FATURA EM ATRASO

Outro dia, me encontrava no meu escritório quando o telefone convencional toca. Ao atender a interlocutora me informava que era da Riachuelo e que minha fatura havia vencido. Eu de supetão, lhe disse na lata: Se preocupe com as suas contas, as minhas deixe comigo que eu pago! E desliguei na cara dela!

COISA USADA

Essa também é da época em que estava separado! Arranjei uma namoradinha de 19 anos, daí vocês já avaliam o amor isento de interesses, e ela me veio logo com um pequeno golpe dizendo que tinha perdido o celular e que estava muito chateada e tal...Ficar sem comunicação comigo, essa coisa. Daí, passados alguns dias eu comprei um celular novo e resolvi lhe dar o celular que usava. Ela ao receber, foi logo me censurando: Você vai me dar uma coisa usada? E eu: O que é que tem, voce não me dá!

TÉRBIO

Fomos numa excursão participar de um campeonato da semana universitária de Catolé do Rocha-Pb, em julho de 1985, e nessa época a Globo exibia a novela Roda de Fogo, na qual Osmar Prado fazia o papel de um motorista chamado Tabaco. Térbio apresentava grande e admirável semelhança física com o ator. Lá estávamos numa roda com algumas garotinhas e uma das tais exclamou admirada da semelhança de Térbio com a personagem: Valha, como ele se parece com o Tabaco! E ele, que não assistia novela alguma, indignado, soltou o verbo: E voce com uma buceta!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

SE NÃO ACORDAR....

Continuando a consulta o médico me disse que um princípio de boa saúde é estar comendo bem, dormindo bem e defecando bem. Olhe, me dizia ele, geralmente todos acordam pra cagar, voce acorda pra cagar? Eu disse: Eu acordo pra não me cagar! 

FOME!

Recentemente fui ao médico e, lá chegando o dito foi logo exclamando admirado de minha forma física. Rapaz, como voce tá gordo! Voce não tem vergonha não, voce era um atleta e agora se encontra desse jeito! Deve estar com as taxas todas alteradas, com esse excesso de peso...Gordo pra cacete! Diga logo o que voce sente: E eu:FOME! 

ALUGAR UMA CASA

Na nossa Mossoró de um passado recente, havia muitas pessoas espirituosas, engraçadas, gaiatas...Dentre tais, se destacava a figura de Antonio Cirilo, o popular cavalo véi. Certo dia, ía passando de carro, o pai do falecido e saudoso cronista social Gomes Filho, João Balbino e viu o cavalo véi, comendo um pão na calçada do Banco de Mossoró e meteu o grito: Cavalo véi, num tem vergonha não, comendo um pão no meio da rua....!!E ele respondeu: Vou bem alugar uma casa pra comer um pão!

MULHER DE MINHA IDADE

Quando estive separado, tratei logo de arrumar uma namorada e, esta tinha a tenra idade de 19 aninhos. Ao me deparar com meu irmão Cavalcanti, ele foi logo me dando um "batido", dizendo: Tenha vergonha, arrume uma mulher de sua idade! E eu respondi perguntando-lhe: Aonde, no Abrigo?

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

FALSIDADE.


Eu em uma audiência, na antiga Junta do Trabalho, estava a levantar suspeita de que a assinatura contida na rescisão contratual não era a de minha cliente. Daí, o Juiz, Dr. Zéu Palmeira, determinou que a reclamante, minha constituinte, assinasse dez vezes em uma folha de papel para que pudesse ser feito o exame grafotécnico no ITEP. Quando a reclamante botou sua assinatura na folha de papel e a entregou, ele examinando e comparando, atenta e longamente, talvez até achando que decerto era uma invenção minha, exclamou: Éééé..., muito parecida...Eu: É uma falsificação, doutor!

CONSIDERAÇÕES INICIAIS.


Há alguns anos, tive a pretensão de publicar uns rabiscos que ainda guardo até hoje e que falam de histórias hilárias de figuras conhecidas de nossa cidade e algumas minhas (a maioria). Agora com o incentivo de André Santa Rosa, meu filho advogado, me encorajei e passarei a contar meus "causos" e os "causos" de outros que valham a pena ser contados e perpetuados na nossa história da Mossoró engraçada!Por outro lado, não existe nenhuma pretensão artística ou literária de minha parte, pretendo apenas divertir minha meia dúzia de uns três ou quatro webs leitores. Quem me conhece sabe de minha espirituosidade e espontaneidade e, para aqueles que não me conhecem e venham a acessar este "humilde" caderno virtual, saibam desde já que não sou artista profissional e nem pretendo ser!

Bem vindos e divirtam-se!